Click



sábado, 22 de novembro de 2014 0 estranhos conhecidos

Poemas Clássicos

segunda-feira, 26 de maio de 2014 1 estranhos conhecidos

Asfixia

Há uma solidão em mim...

É como uma carícia que deixou no ar a vontade desolada de um consolo por si mesmo!

Há uma confissão presa em grades dentro de mim, ao redor de mim.

Há, por fim, este delírio sufocante sufocado por mim!

Kiro Menezes... através de paredes...

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013 6 estranhos conhecidos

Com Saudades de Mim


... sinto falta do que nem foi ainda.
                   E volto para visitar-me ao menos uma vez!
Encontro o luar amigo de palavras doces e gentis....
  Saúdo-os queridos!
       Saúdo-os... saudosa...


Kiro...
quinta-feira, 10 de maio de 2012 3 estranhos conhecidos

Cola sua vida na minha...



"Envolver sua vida na minha é deixar-me liberta e amar-me.

Querer-me no caminho que é teu é mostrar os passos que me servem de calçados para trilhar teus sonhos sem que eu deixe de voar..."




KIRO•
0 estranhos conhecidos

Deleite Meu



Estico meus dedos para tocar o céu,
encontro na macies duma flor o beijo perfeito.
Tenho suavidades sorvidas feito mel
por meus olhos que se perderam e aos quais deleito
se posso mesmo, por este agora, fazer assim
jogá-los moles na relva verde desse jardim....



KIRO MENEZES


Encontrem-me na nova roupagem da minha vida:

MÁXIMAS VEREDAS MINHAS

Procuro meu caminho com a avidez de um moribundo no deserto!



quarta-feira, 9 de maio de 2012 0 estranhos conhecidos

AMAR EM LIBERDADE... - Por Koló Farias



Lindo amor natural
em seu sabor.
Frases em seu rosto
no lugar de palavras.
Amar o doce da vida
em cores do arco-iris.
Sonhar ao livre do vento
aguardando a paz.
Sentir o gozo que te leva
ao ápice do seu viver.



Koló Farias.
A minha amiga Kiro Menezes.







Borboleteantes, estrelas caem nos meus braços,
sou céu azul-negro de olhos de relva macia,
guardo teus lábios nos sonhos que eternizam minha poesia.



KIRO MENEZES
Em sentimentos despertados por paz e liberdade
expressos tão singela e grandiosamente no poema desse baiano querido!


terça-feira, 8 de maio de 2012 0 estranhos conhecidos

Quem é Você, Poeta? - Por Nathan de Castro




Link do FaceBook de Nathan [CLIQUE AQUI]


Loucos alucinados
todo poeta é de uma sina
que não foge, não inventa

Poeta é boêmio apaixonado
canta em rima
faz milagres, e se ausenta

Na plataforma do verso
um canto calado ao inverso
e reinventado tantas vezes
reproduzindo essências. 


Por KIRO MENEZES



quinta-feira, 3 de maio de 2012 0 estranhos conhecidos

E vós, quem sois?



As vezes, quando sentimos um amor tão grande que nos compreende por inteiro, ganhamos tanto que nem sabemos o que fazer com tudo o que sentimos.

Diante disso, eu questiono:


Quem sois vós
que aponta-me erros?
Quais os erros que cometi?
Quem sois vós que jamais erraste
tentando ser quem não conheci
e querendo possuir maior saber
que o saber que adquiri
errando vozes
vezes
atos

Por qual coroa de louro cantas
tu, que jamais viverá o que vivi
e jamais sentirá o que senti
ou amará o amor que amei?

Quem sois vós?


Sufocamos numa escuridão de iludir-se desventurosamente.

Um cantar tão egoísta que não cabe sobre a terra! Deste cantar enfadonho, terei-me liberta. Usarei as asas do meu Anjo, voarei tão alto que do alto o verei, acenando feliz por ver-me voar!

E serei feliz!



Google Image




sexta-feira, 23 de março de 2012 2 estranhos conhecidos

Jura secreta 22

jura secreta 22

cezzane não pintava flores
despejava cores
no corpo da mulher amada

com os pincéis encravados
entre as coxas
transformou holandas
em quintais de vento

reInventou o tempo
na hora de pintar



artur gomes





 




Festival de Cinema
terça-feira, 20 de março de 2012 0 estranhos conhecidos

Vida de Fotografo (Por Edilberto J S Soares)





VIDA DE FOTOGRAFO 








Qual o tamanho do seu sonho?
O meu o limite é o infinito
Pois sonhei o sonho mais bonito
Sonhei o sonho que sonhava Rauzito
Já mostrei Deus de Alá à Jesus Cristo
Já andei na rua clara, e na escura
Olha seu Puto, Se não pará de frescura
Vai pra bangu em vez de ir pra prefeitura
Só falo à Verdade, juro eu não minto
Já viajei do Mar Vermelho ao Rio Tinto
Em simples versos, eu só digo o que sinto
Sou Poesia viajo pelo o Unverso
Chamaram - me tanto, Hoje estou de Regresso
No mundo chamam - me de Senhor do Universo
Quando Sou Verso, Sou À Própria Poesia
Todo dia vou ao Templo da Sabedoria
Só tô dizendo tudo que o Raul dizia
Registro tudo que vejo no dia-a-dia
Isso é a Vida de Fotografo da Periferia
Sonhei meu Sonho Hoje Vivo no limite
Sonhando vou voando no infinito
O Infinito... O Universo... O Retrato... À Poesia....


Autor: Edilberto José Soares Soares
Facebook
Rio, 18.03.2012


0 estranhos conhecidos

O Padre - Artigo

Padre CORAJOSO!

O Ministério Público Federal de São Paulo ajuizou ação pedindo a retirada dos símbolos religiosas das repartições publicas.

Pois bem, veja o que diz o Frade Demetrius dos Santos Silva.

Sou Padre católico e concordo plenamente com o Ministério Público de São Paulo por querer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas.

Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião.

A Cruz deve ser retirada!

Aliás, nunca gostei de ver a Cruz em Tribunais onde os pobres têm menos direitos que os ricos e onde sentenças são barganhadas, vendidas e compradas.

Não quero mais ver a Cruz nas Câmaras legislativas onde a corrupção é a moeda mais forte.
Não quero ver, também, a Cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos são constrangidos e torturados.

Não quero ver, muito menos, a Cruz em prontos-socorros e hospitais onde pessoas pobres morrem sem atendimento.

É preciso retirar a Cruz das repartições públicas porque Cristo não abençoa a sórdida política brasileira, causa das desgraças, das misérias e sofrimentos dos pequenos, dos pobres e dos menos favorecidos.




Frade Demétrius do Santos Silva.
* São Paulo/SP


Sejamos da religião ou fé ou filosofia que formos, este Padre não mentiu no que disse!
Em busca da justiça, já.


segunda-feira, 19 de março de 2012 1 estranhos conhecidos

Bocejos (Por João Victor Velloso)

Bocejos
por Joao Victor Velloso


todas as vezes que ela olhava para mim, naqueles dias frios de lisboa,
eu sorria
e depois via os gatos na janela
me observando,
como que interessados no andamento da conquista.
eram dias de sempre, de olhares e sorrisos, desvios e gatos na janela.
veio o verão e ela desapareceu do meu olhar sem graça
os gatos? nunca mais foram os mesmos.
agora apenas bocejam à passagem de minha alma vazia.






sexta-feira, 9 de março de 2012 2 estranhos conhecidos

Pra sempre doce, Amor!


Ainda que não note
a lágrima no canto do olho
o brilho marejado dos batimentos
os acanhamentos desnecessários...

Mesmo que desconheça
a dor que lava-me o peito
o sorriso que nasce involuntário
o estremecimento dos lábios...

Nem que haja outra aurora
num tempo nem tão distante
numa água nem tão profunda
ou comensuráveis infortúnios...

Ah! Meu amado,
o estarei ainda amando
deixando meu corpo de lado
tornando meu doce chamado
o nome que por si vai soprando...


Sei que dentro dos relacionamentos, todos tem problemas. Pequenas gotinhas que vão enchendo o copo, tão desimportantes quanto seu próprio tamanho...

Mas também sei que, quando não é possível desistir, se pode secar todas as gotinhas, derramar do copo todo o conteúdo acumulado.

E mesmo que o companheiro de vida, ou companheira, já que o texto não é só para mulheres, mesmo que não note nossas mudanças internas ou externas, ainda que tudo pareça intempéries que magoam e jamais passarão a menos que se arranque a arvore, temos dentro de nós a certeza.

Sim, sim. Eu disse certeza. Isso não se aplica a quem ainda não encontrou sua parte norte-sul, sua rosa dos ventos. Isso é para quem vive uma história real de amor comprometido com a felicidade do outro. E quando se tem essa certeza, ah! doce momento. 

A vida é cheia de luz ainda que em trevas, o sol brilha colorido e o arco-íris é a ponte para a felicidade eterna. Para a eternidade pois a felicidade de hoje, agora, por mais que haja a dor, ela existe!

Essa felicidade sim, essa não há como abrir mão. E sei que isso vale para ambos os lados. O diálogo é a chave. O companheirismo, a maçaneta. O Amor é a vontade de abrir essa porta para que os lábios se encontrem numa ligação única!


Sei que seremos um do outro a vida toda, meu amado!


quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012 0 estranhos conhecidos

Fantástico




Era silencioso o riso e a cena. Tudo envolvia-se nos pequenos movimentos. Não! Ela estava louca.


Viu acontecer um vislumbre negro no jogar dos cabelos. Negro-reluzentes. E os óculos só lhe emprestavam a magia que ela tinha dentro dos próprios olhos.

Precisava-lhe  todo, pertencia-lhe toda. 

Qual amar instantâneo, foi ali uma eternidade em que se viu dançando em rodopios de salão!




segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012 3 estranhos conhecidos

Amo, porém...




Dizem que toda forma de amar é válida.

Não concordo.

Existem formas egoístas de amar.

Amor tem de fazer feliz, um e outro,
ou simplesmente, desconsidero como Amor!

Pode se tratar de um outro sentimento qualquer.

Um sem perfume, sem cor,
sem beleza, sem cheiro, sem toque.

Um sentimento romantizado
e incoerente!

Não, não posso supor que todas as formas de AmAr são válidas.

Tem de ser real e livre.

Somente quem ama e se permite amar
é que detem o tesouro do

verdadeiro

AMOR!




Tomar um Tereré?

 
;