Click



quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Levadas

Há a parte que canta
soneto quase mantra
e a parte que grita
uma parte à outra
sou eu, e giro mundo
Gira-Mundo
Giro louro, profundo
insonso profanado 
Uma roda
uma roda que sonda
Lilás brilhante - falada
e gira
e grita
e canta
um mantra
e outra
e soneto
verbeto
um mundo
um lado
um fato


- um gato


miau...


Final!


Escrevi um despejo de palavras, que é como estou. Esvaziar-me não é tarefa fácil, nem tampouco agradável. Mas necessário!
Uma iguaria não deve ser servida em prato sujo. Um grande amor também não.
Seja esse um mal necessário, um bem providencial, um desejo real e exequível. 
Paz e Coragem. Essas são as palavras de ordem.


Atitude!



Um comentário:

Por que você faz poema? disse...

Um fado
um passo
infalso

um trato
um lapso

um raso

Tomar um Tereré?

 
;