Click



segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Introspecção


Tenho estado distante,
não só dos meus cantos de paz e amigos tão caros ao meu coração
e atenuantes da minha solidão,
tenho estado também, ausente de mim.

A poesia deixou a lacuna do silencio que,
mortalmente,
consome os versos devorando-os impiedosa.

Sim. A poesia também zanga-se.
Zanga com a ternura do mundo real,
com a delicadeza não deflorada por sua inviolável
melancolia,
zanga com a nostálgica vivencia que a dispensa
sem deixar que ela se vá
sem usar de seus caprichos.

Aprisionada no peito do poeta,
a poesia é etérea e densa.
Tão controversa que cala.
Tão liberta que pousa num ramo e ali, estatuatiza-se .

É triste o navegar solitário.
Poético, falso, ladino.
Rouba o sono e angustia a alma.
É triste. Mas real como apenas a Solidão
silva ao anoitecer sem luar.

Medo e frio.
Sem poesia, sem paz.
Vazio!


Kiro Menezes - Introspecção.

4 comentários:

Simone MartinS2 disse...

Boa tarde querida...Nesse mundo conturbado de rotina, de ter que seguir o cotidiano, as vezes, enclausura e torna ausente o poeta, mas nada que, vez ou outra, o torne presente. Não sofra pois...A blogosfera é um local de muita amizade, amor e cumplicidade com nossas dores, mas tambem, nos remete a vida de pessoas responsaveis com seu mundo real...então, nao sofras,apareça e deixe como hoje, teu recado poetico, e quem puder fara par ti um retorno carinhoso. Tenho tido pouco tempo para fazer visitas, mas nao desisto de minhas poesias...Bjinhos magicos e Feliz 2012...que tua vida real esteja plena de saude, paz e amor...muito amor! Bjinhos magicos!

Kiro Menezes disse...

Obrigada por seu carinho tão doce, minha pequena grande amiga!!!

Seja nosso ano tão pleno, que nem se note o que é mesmo poesia e onde se esconde realmente a vida!

Sejamos versos!

Beijos doces Sissinha ♥

Só pra você disse...

De Longe Te Hei-de Amar

De longe te hei-de amar
- da tranquila distância
em que o amor é saudade
e o desejo, constância.

Do divino lugar
onde o bem da existência
é ser eternidade
e parecer ausência.

Quem precisa explicar
o momento e a fragrância
da Rosa, que persuade
sem nenhuma arrogância?

E, no fundo do mar,
a Estrela, sem violência,
cumpre a sua verdade,
alheia à transparência.

Cecília Meireles


Parabéns querida por mais essa passagem, que muitas comemorações sejam feitas nesse teu caminhar. Muita paz, amor, cumplicidade e amizades verdadeiras venham aflorar nesse teu jardim, que é o teu coração. Felicidade por mais um aninho.

Adoro a poeta Cecilia, por isso te dedico o poema acima.

Auxiliadora

Kiro Menezes disse...

Obrigada minha flor!!!! Amei a homenagem!!! Muito obrigada pelo carinho!!!!

Amo vc ♥

Tomar um Tereré?

 
;