Click



segunda-feira, 4 de abril de 2011

Reinvenção




Adeus, Meus Sonhos! 


(Álvares de Azevedo)



Adeus, meus sonhos, eu pranteio e morro!
Não levo da existência uma saudade!
E tanta vida que meu peito enchia
Morreu na minha triste mocidade!


Misérrimo! Votei meus pobres dias
À sina doida de um amor sem fruto,
E minh'alma na treva agora dorme
Como um olhar que a morte envolve em luto.


Que me resta, meu Deus?


Morra comigo
A estrela de meus cândidos amores,
Já não vejo no meu peito morto
Um punhado sequer de murchas flores!




Palavras em Branco

Vou repaginar minha vida, 
deixar-te na minha história,
habitarás paginas em meu Diário,
reinventarei teu nome
e serás bela recordação.

Serei a Roseira Ferida
calor de meus próprios sonhos
motivadora de minha estrada
Cantarei odes à Poesia
e te imortalizarei em versos
Jamais me farás mal - outros
Terei apenas tua alegria
e o sorriso que tu me deu
Passaste e marcaste o ritmo
cantaste e me fizeste ultimo
o verso dessa canção!

Por Valquiria Menezes



"O sorriso é uma arma
letal contra mágoas!"

4 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Uau... adoro ver você reinventado Álvares de Azevedo!!

Potencial único!

Lindo demais, querida!

Beijocas!!

Kiro Menezes disse...

Sou fã de Alvares também!!!



Brigada florzinha...

Silviah Carvalho disse...

Muito lindos os poemas, parabéns pela postagem e pelo bom gosto.

Will disse...

Oi Kiro,
Perfeita combinação de poemas.
Bj

Tomar um Tereré?

 
;