Click



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

.+*Saudações à Primavera*+.




http://coracaoquenaocala.blogspot.com
No   mistério   do   sem-fim
equilibra-se um planeta. 
E   no   planeta   um   jardim 
e no jardim um canteiro 
no   canteiro   uma   violeta 
e sobre ela o dia
inteiro   entre   o   planeta 
e o sem-fim 
a   asa   de   uma   borboleta.


(Cecília Meireles)






Doce e sutil, a primavera baila os cabelos caracóis que se permitem voar em sua brisa.


O toque gentil do tempo não apagou no olhar o sorriso por pequenezas audíveis à alma. Sombrias eras apenas emolduram o rosto d'alma, embelezando-o em pinturas, aquarelas de cores desbotadas, outonais, magicas.


De quem sopra uníssonos versos, promana a delicadeza dos mesmos tempos de primaveras outrora saboreadas, hoje, lembranças amarelas de uma saudade surda. 


Ainda vive, nas bordas do coração, esculpidas e entalhadas, as mesmas lindas memórias. Hoje cansadas, mas vivas. Enternecidas por invernos de espera, aguardando, pacientemente, sua mais colorida primavera.


Essa baila à sua frente. O caminho segue. Está emoldurado nas asas azuis do tempo.






Por Kiro Menezes



3 comentários:

Renata Diniz disse...

Kiro. Muito obrigada. Beijos!

Kiro Menezes disse...

Eu que agradeço sua visita, querida... Beijinhoss...

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

(Cecília Meireles), dos tempos em que encontrava poetas pelas ruas

Tomar um Tereré?

 
;