Click



quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Um Poema por Mel Almeida





O sol adormeceu de cansaço…
Vem a noite cair…nos meus braços…

A lua sorri…marota…
No meu céu de fantasias…à solta

Brilha, como pérolas brancas…
Num decote ….
Belo…e provocante…

E na terra cai…a sombra…
Tão…Insinuante…

Em cenário perplexo
Matreiro e vadio…

Onde os poetas são sentinelas
Guardiões de amor, versos…e velas…

Lua dos meus sonhos…
Abraço-te em mim...

Num abrigo
Sem princípio… nem fim…

Oh…lua…Se sonhasses… tanto
…Quanto[ eu…]

Adormecias…apenas e quando…
Esgotassem… os sonhos meus!
MEL ALMEIDA


Trouxe esse poema lindo da Mel (facebook)
pois há dias em que nos sentimos sem inspiração, as letras não nos procuram,
os versos não nos convidam ao passeio no entardecer,
nem a brisa suave quer ser eternizada em poesias.

Então, para estes dias em que não somos receptáculos para paixão,
há os grandes poetas, livres de sentimentos inodoros,
perfumam nossa primavera,
colore nossa paisagem.

"Bem vinda, Poesia.
Bom que tenhas sempre almas límpidas para
guardar-se nelas!"

Obrigada Mel, por teres tamanha inspiração!

Um beijo doce a todos e a cada um,
da Kirinho ♥


Um comentário:

Anônimo disse...

Casualmente dei com este poema meu, no seu blogue. Gostei de saber que existe sempre mais um admirador daquilo que escrevemos. Passaram vários anos sobre ele, sinto-o hoje mais meu, do que, quando o escrevi. Talvez por o ter aqui como uma boa surpresa. Obrigada...Obrigada...Obrigada. Um abraço de carinho e poesia.

Mel Almeida

Tomar um Tereré?

 
;