Click



terça-feira, 14 de junho de 2011

Namorar Poesia

Enquanto beijava as Horas para que se me fossem mais gentis e andassem mais depressa, as Horas namoravam o Tempo, que lento... muito lento! ia pegando meus sonhos, e no meu corpo ia tecendo marcas habituais de Poesia, filhas das Horas frias de doce tormento que namora o poético e quente Tempo.


Seus nobres filhos? Versos Sonetos! Alguma Poesia e muitos tormentos...


E que foi feito dos beijos vazios que ofertei às Horas para que mo fossem mais compreensivas e deslizassem o mais depressa? Que correr era vontade minha, mas na correria- somente tropeços- não me dei melhor que quando nem olhava onde pisava.




Meu Amado deixou-me a cicatriz da Poesia triste. Deixou meias palavras tontas, e um pouco de amor próprio que uso de vestimenta. Em troca, dei-lhe a alegria única que poderia: permiti que partisse sem notar meus olhos tristes, sem perceber que ao meu coração, destruía.


Ferida estupidamente, me permito amar a mim, amar à poesia alegre que no corpo do Poeta foi desenhada com letras de perfume e sonhos.

Poeta em poesias loucas, que diferem meus devaneios dos meus desejos insanos... 
És a mim o entendedor de estrelas... e vivo-te, meu Verso órfão... meu delírio!

Tu sabes que a ti escrevo. Teu nome não citarei, não se abre arcas do tesouro em praça pública. Mas de olhos e coração, sabes bem que escrevo a ti, basta ler-nos em entrelinhas! Essas adoráveis que nos deixam bobos, que nos deitam nas nuvens para que o amor nos perceba.

Meu Amor me deixou aqui, entre versos de prosa dita por tua boca, e enlouquecida, nem percebi que outros olhos já me tomavam, escurecendo a dor em mim, entorpecendo todos sentidos, e sentindo meus olhos para que não notasse... Mas, sim, o Amor deixou a mim, nas mãos da ternura sóbria de quem mais me faz feliz:

Poesia!

Vá Amor, e quando entenderes que não fico, venha a mim com outros sonhos. Novas aventuras ao coração que se enreda por veredas de alegria e momentos lúdicos!




Por Kiro Menezes



Aos que tiveram paixão 
aos que ainda a terão
aos que a tem entre os dedos, escorregando pelo tempo
em leve descontração!


Beijos...

5 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Que lindo namoro esse seu com a poesia, querida!!

Adorável!

Beijo carinhoso!

Kiro Menezes disse...

Obrigada anjinho... Vi que fizestes postinhos, vou viajar por lá hj a noite...

bjbjbj

Simone Martins2 disse...

Boa noite querida Kiro...e que na poesia se faça a magica do amor...que eu possa ama-lo, tanto o quanto me amas...em meus sonhos, tu es meu principe encantado...me enche de beijos adocicados, eternos...é na tua poesia, que eu me perco em fantasia...que eu amo e sou amada...Venha poeta, me encante com tuas palavras... me deixe assim, meio tonta, meio boba...meio criança...Me empolguei, desculpe linda, mas nao consigo de outro jeito...bjin

Simone Martins2 disse...

Ah, tah...Gostei do apelido "Sissinha", carinhoso e gentil, vou usa-lo toda vez que falar de ti...Menina linda que veste poesia e a todos encanta...bjin

vanessa cony disse...

Kirinho...Saudades de vc!
Linda sua poesia.Tão bom colocar para o lado de fora aquilo que vai dentro do coração.
E o seu,é lindo,viu ?
Beijoquinha nele.

Tomar um Tereré?

 
;