Click



segunda-feira, 14 de março de 2011

Natasha (por Sergio Kroeff Canarim)







NATASHA 










Então ela borrifou o perfume negro da volúpia.
Exasperado, procurei cumprir meu destino.
Proveria-a com o cerne da vida.
Com a maldade própria
daquelas que conhecem
o domínio do sexo
foi embora...


Neste ínterim, com mãos tremulas acendi o cigarro fatal.


Olhei o vazio da minha janela,
representava o vazio de minha mente-corpo.


Juntos desejamos tudo.
O vazio é o nascimento do amor.
Do amor que é vontade.
Da vontade nasceram-nascem-nascerão os possíveis mundos.


Dos encontros a continuação das espécies.








por Sergio Kroeff Canarim


Postagem: Natasha

4 comentários:

Malu de Oliveira disse...

Oi Kiro, por onde vc anda?

Saudades,

Bjs.

soniaconslt disse...

Tá vendo que todos sentimos tua falta?
fiz um post pra ti
http://soniaconsult-portal.blogspot.com/

Kiro Menezes disse...

Aiii que ando com uma saudade de vcs meninas!!!

Sobre o Tempo disse...

Dei uma passadinha e li o seu poema. Bjs!

Tomar um Tereré?

 
;